Portal O Mandacaru

Abalada, Niède Guidon diz que o clima é tenso na Serra da Capivara

"Todo mundo anda armado no Brasil. Esse menino morreu em defesa dos animais", diz Niéde Guidon

Créditos: Portal AZ Niède Guidon Niède Guidon

O corpo do guarda Edilson Pereira dos Santos, assassinado em troca tiros entre caçadores e guardas ambientais no Parque Nacional Serra da Capivara, na localidade Cambraia, no município de João Costa, às 14h desta sexta-feira (18/08), será velado no Museu do Homem Americano e sepultado neste domingo (20), na cidade de São Raimundo Nonato.

“O clima aqui na região é de muita tensão, todo mundo anda armado no Brasil. Não sei até onde vamos. Não sei nem o que lhe falar”. As poucas palavras são da arqueóloga Niède Guidon, responsável pelo parque, na manhã deste sábado (19), para a reportagem do Portal AZ.

O corpo de Edilson foi examinado no Instituto de Medicina Legal (IML) e o velório acontece do final da tarde deste sábado até o domingo. “Não sabemos ainda o horário exato do sepultamento”.

Enquanto Niéde Guidon, abalada, prepara o velório de Edilson (um menino bom que morreu em defesa dos animais – como diz Niède), PMs da Força Tática, seguem mata adentro em diligências para prenderem dois caçadores ( Gilson e Zezinho) que participaram do tiroteio e se embrenharam na mata.

Outros dois caçadores (Netão e Afonso) foram capturados na mata por equipes de policiais comandadas pelo capitão Edilson Salviano.

Já os dois guardas baleados na troca de tiros seguem internados em hospitais da região. Eles são do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e faziam a segurança do Parque Nacional Serra da Capivara, avistaram um grupo de caçadores. Eles algemaram um dos caçadores e foram recebidos a bala, iniciando a troca de tiros.

Fonte: Portal AZ

Copyright 2017 - Portal O Mandacaru