Portal O Mandacaru

Ainda sem receber, hospitais anunciam suspensão de atendimento pelo Plamta

"Atendimentos serão normalizados após o repasse do pagamento da competência de julho", diz nota

Créditos: Google Foto: Divulgação Foto: Divulgação

Hospitais e clínicas credenciados ao plano de saúde dos servidores estaduais do Piauí (Plamta) e IASPI Saúde irão suspender o atendimento aos usuários. A paralisação do atendimento deve começar a partir da meia noite desta quarta-feira (11).

A informação foi divulgada pelo Sindicato dos Hospitais, Clínicas, Casas de Saúde e Laboratórios de Pesquisas e Análises Clínicas do Estado do Piauí (Sindhospi).

De acordo com uma nota divulgada pela categoria, a decisão se deu em virtude do não cumprimento do cronograma de pagamento dos prestadores, que se encerrou ontem (10), "conforme ficara acertado no Ministério Público Estadual no último dia 04 de outubro”, informou o Sindhospi.

Ainda em nota, o sindicato afirma ter sido procurado pela diretoria do IASPI sobre o não cumprimento do prazo estabelecido, mas não teria ocorrido uma nova negociação. “Deste modo os atendimentos só serão normalizados após o repasse do pagamento da competência de julho”, diz.

Entenda o caso

Em ofício encaminhado dia 29 de setembro à direção do Instituto da Assistência à Saúde dos Servidores Públicos do Estado do Piauí, Daniela Amorim Aita, o presidente do Sindicato dos Hospitais do Estado, Jefferson Campelo, solicitou o pagamento por serviços prestados ainda no mês de junho. Em caso de não quitação do valor devido, comunicou que seriam cessados os atendimentos a usuários do Plamta e Iasp-Saúde.

De acordo com o ofício, o prazo contratual para pagamento dos procedimentos realizados foi extrapolado pelo Iaspi, “conduzindo os hospitais e clínicas a grande risco de perecimento de suas finanças, o que inviabiliza a continuidade da prestação de serviços”.

Por “perecimento das finanças” pode-se entender um quadro de insolvência em face dos atrasos nos pagamentos mensais, que somariam R$ 15 milhões por competência, ou seja, por mês que deixou de ser pago. Assim sendo, face a existir um atraso desde junho e até setembro, o valor devido pelo Iaspi aos hospitais já somaria mais de R$ 60 milhões,

O prazo que os hospitais e clinicas deram para a regularização do pagamento de junho – cerca de R$ 15 milhões – esgotava-se na quarta-feira, 4 de outubro, quando foi acertada a decisão com o MP. 

Fonte: portalaz.com.br
Editor: Evandro Júnior

Copyright 2017 - Portal O Mandacaru