Portal O Mandacaru

Deputado Júlio Arcoverde é citado por ex-assessor de Ciro

Segundo matéria publicada no Estadão, ex-assessor confirma que entregou mala com R$ 100 mil a Júlio

Créditos: Google Deputado Júlio Arcoverde (PP) Deputado Júlio Arcoverde (PP)

O ex-assessor do senador Ciro Nogueira (PP-PI) José Expedito Rodrigues relatou à Polícia Federal que transportou por várias vezes bolsas e malas com dinheiro para o presidente do PP e para o deputado Eduardo da Fonte (PP-PE), conhecido como Dudu da Fonte. Os dois parlamentares foram alvo de busca e apreensão nesta terça-feira, 24, por supostamente ameaçar o ex-funcionário para que ele mudasse a versão de seus depoimentos aos investigadores.

O serviço prestado como transportador de valores ilícitos, segundo o ex-assessor, era custeado com o salário na Câmara dos Deputados. “Que o declarante não recebia nenhuma comissão para o transporte de valores, esclarecendo que o desempenho dessa tarefa ficava por conta do salário que recebia como assessor da Câmara dos Deputados”, diz o registro do depoimento de Rodrigues.

PF encontra cerca de R$ 200 mil em casa do presidente do PP
No depoimento, de outubro de 2016, Rodrigues afirmou que trabalhou para os dois parlamentares e que por duas vezes transportou valores dentro de bolsas no trajeto entre São Paulo e o Piauí. Em uma dessas viagens, o ex-assessor disse que levou R$ 150 mil da capital paulista para Teresina e entregou diretamente na casa do senador.

Ciro Nogueira e Dudu da Fonte são investigados por repasse de R$ 1,6 mi via contrato fictício
No depoimento, anexado a um dos inquéritos que investigam o senador no Supremo Tribunal Federal, Rodrigues declarou também que transportou dinheiro em espécie de Brasília para Teresina. Nesses casos, as entregas foram feitas em um shopping para uma pessoa ligada ao presidente do PP, segundo relatou.

Inquérito 4631
Outro destino das entregas realizadas pelo ex-assessor do senador foi no Rio. “Que se recorda de ter transportado R$ 100 mil desde o Rio de Janeiro/RJ dinheiro que foi recebido de Ciro Nogueira e entregue a Julio Arcoverde, em Brasilia.” Essa entrega, de acordo com o ex-funcionário, foi no apartamento na 311 sul, em Brasília, onde residia Dudu da Fonte.

Ciro quis tirar doleiro Youssef da distribuição de propinas do PP, diz investigação
Em outra viagem entre São Paulo e Rio para entrega de valores ao senador, o ex-assessor disse que ao chegar à capital fluminense descobriu que “havia maços de dinheiro nas malas, em meio às roupas e calçados” que ele transportava em uma Pajero Full que seria do senador e do deputado.

Lava Jato continua seu inexorável caminho’
“Que Ciro Nogueira também mantinha no Rio de Janeiro um imóvel situado na Av. Vieira Souto, o qual dividia o aluguel com Eduardo da Fonte. Que o declarante foi até esse imóvel diversas vezes, algumas delas com o propósito de apanhar valores para serem transportados”, disse.

José Expedito Rodrigues não foi localizado pelo Estado.

COM A PALAVRA, A DEFESA DE CIRO
O criminalista Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, declarou. “O senador se encontra fora do Brasil, não sabendo em qual país e que não foi possível ainda falar com ele. Desconhece a defesa, até o presente momento, as razões da determinação judicial do Ministro Fachin. É certo que o senador sempre se colocou à disposição do Poder Judiciário, prestando depoimentos sempre que necessário e, inclusive, já foi alvo de busca e apreensão. Continuará a agir o senador como o principal interessado no esclarecimento dos fatos. No momento, a defesa aguarda contato com o Senador para poder ter o necessário instrumento de poderes que dará direito ao acesso aos fundamentos da medida de busca e apreensão.”

COM A PALAVRA, JÚLIO ARCOVERDE
O deputado estadual Júlio Arcoverde negou ter recebido mala com R$ 100 mil e atacou José Expedito. De acordo com o parlamentar, o ex-assessor sofre de problemas psicológicos e fez as denúncias devido a um sentimento de vingança após ter sido dispensado. Júlio admitiu que José Expedito lhe pegava no aeroporto de São Paulo e fazia corridas com ele, mas negou qualquer recebimento de mala. O deputado promete acionar a Justiça contra o motorista por ter citado seu nome.

COM A PALAVRA, DUDU DA FONTE
O deputado Eduardo da Fonte disse, por meio de sua assessoria de imprensa, que “confia na Justiça e em Deus”. “Estou à disposição da Justiça sempre”, afirmou.

Fonte: politicadinamica.com
Editor: Evandro Jr.

Copyright 2018 - Portal O Mandacaru