Portal O Mandacaru

Em audiência, deputados discutem consequências da privatização da Cepisa e Chesf

A audiência aconteceu no plenarinho da ALEPI

Créditos: Alepi Assembléia Legislativa do Piauí Assembléia Legislativa do Piauí

Atendendo a um requerimento apresentado pela deputada Flora Izabel (PT), as Comissões de Administração Pública e Política Social e de Infraestrutura e Política Econômica da Assembléia Legislativa (Alepi) discutiram nesta quinta-feira (28), em audiência pública, sobre os impactos da privatização da Cepisa e (Companhia Energética do Piauí) e Chesf (Companhia Hidrelétrica do São Francisco).

A audiência, iniciada às 9h, aconteceu no plenarinho da ALEPI, onde estiveram presentes representantes dos Urbanitários de Teresina, da Central Única dos trabalhadores e estudantes de Engenharia Elétrica da Universidade Federal do Piauí. O deputado Evaldo Gomes, componente da Comissão de Infraestrutura e Política Econômica, intermediou o debate.

Os trabalhos foram iniciados com a fala da propositora da audiência, deputada Flora Isabel. Em seu discurso ela destacou os impactos negativos da privatização, como a diminuição da produção de alimentos, e a redução de investimentos em redes e subestações no Piauí, e finalizou prometendo “Irei propor uma frente parlamentar para acompanhar o processo”.

“Aqui é só o começo do sofrimento do povo piauiense”, lamentou o economista da Eletrobras Antônio Pereira. Segundo ele a privatização vai comprometer o desenvolvimento econômico do Estado em grande proporção já que promoverá até quatro reajustes em um ano. “Os impactos já começaram, teremos em breve um reajuste de 27% na taxa de energia e com a privatização a tarifa deve ser reajustada quatro vezes em doze meses”.

 Sindicato dos Urbanitários prometeu continuar lutando contra a proposta, inclusive no âmbito jurídico. “Aqui estamos numa ação política, mas juridicamente também estamos agindo. Contratamos um escritório jurídico nacional com relação a esse processo e na medida em que o edital de leilão for publicado vamos agir em cima das falhas para que possamos reverter essa situação”, adiantou Paulo Soares, presidente do Sindicato dos Urbanitários de Teresina.

O governo federal  (acionista majoritário da Eletrobras) autorizou, no último mês de julho, a privatização de seis distribuidoras de energia do grupo, entre elas a Cepisa (Companhia Energética do Piauí).

Até 14 usinas hidrelétricas antigas pertencentes às subsidiárias Chesf, Furnas e Eletronorte também poderão passar para as mãos do poder privado. A perspectiva é de que o processo seja concluído ainda em 2017.

Fonte: portalaz.com.br
Editor: Evandro Júnior

Copyright 2017 - Portal O Mandacaru