Portal O Mandacaru

Encontro entre Themístocles e Wellington deve definir futuro da aliança entre MDB e PT

O deputado disse que as rixas devem ser sanadas antes das convenções de julho.

Créditos: Google Imagem: Reprodução Imagem: Reprodução

O presidente da Assembleia Legislativa do Piauí, deputado Themístocles Filho (MDB), confirmou no Notícia da Manhã que terá uma reunião nesta sexta-feira (11) com o governador Wellington Dias (PT). A pauta fez mistério, mas irá propor rumos para aliança MDB/PT e tomar conhecimento do andamento dos projetos que tramitam na Alepi.

Themístocles admite acordo do MDB com a chapa governista e considera normal os desentendimentos. Ele porém, ponderou que as rixas devem ser sanadas antes das convenções de julho. Segundo ele, não há motivos para estresses ou rompimento e se posicionou contra a chapa pura para a coligação proporcional, proposta pelos petistas.

O presidente da Assembleia, um dos nomes indicados para compor a vaga de vice de Wellington Dias revelou que o governador vai tratar na reunião sobre matérias que precisam de andamentos na Assembleia e ponderou: "Até hoje o governador não tem motivo para reclamar da Assembleia". 

Sobre o apoio do seu nome pelo Progressistas, como o do senador Ciro Nogueira, que é presidente nacional da sigla, Temístocles afirmou ser importante.

“Eu e todos os meus amigos do partido estamos tranquilos. Os outros, de outros partidos, estão tranquilos. Isso acontece com naturalidade. Isso sempre foi assim. Toda manifestação é importante. O senador é uma liderança importante no estado do Piauí, ninguém pode negar. Aquilo naquele ele pode ajudar o Estado, tem ajudado; recursos para prefeituras, para o Governo do Estado”, disse o presidente da Alepi.   

Durante a entrevista, o deputado defendeu a importância da capitação de recursos para realização de obras.  Ele declarou que um dos temas que merece ser bastante discutido nestas eleições a dificuldade de pagamento para não deixa atrasar o salários dos servidores.  

“O Piauí está solicitando pouco mais de R$ 1 bilhão emprestado do Governo Federal. Em 2017, o Piauí tirou de outros investimentos, que poderia ser feito, para não deixar atrasar pensionistas e aposentados. Mas isso não acontece só no Piauí não, acontece em todos os Estados da Federação e até no Governo Federal ”. 

Themístocles Filho ressaltou que àqueles que desejam ser eleitos para deputado estadual em qualquer aliança deve garantir pelo menos 26 mil votos. “No meu entender, quem tiver menos de 26 mil poderá não entrar no parlamento estadual”, que não deverá se garantir em aliança e deverá trabalhar para ganhar maior quantidade de votos possíveis.

Fonte: cidadeverde.com
Editor: Evandro Jr.

Copyright 2018 - Portal O Mandacaru