Portal O Mandacaru

Escolas públicas estão sendo fechadas no município de São Raimundo Nonato

Pelo menos cinco escolas da rede municipal poderão ser fechadas

Créditos: Alírio Ribeiro. Ao fundo da quadra de Esportes a Unidades Escolar da comunidade Macacos Ao fundo da quadra de Esportes a Unidades Escolar da comunidade Macacos

A Prefeita Carmelita Castro, através da Secretaria de Educação do Município está com a proposta de fechamento de pelo menos cinco escolas da rede Municipal de Ensino. Segundo esclarecimentos da Assessora de Comunicação da Prefeitura, o objetivo destas mudanças será a nucleação dessas escolas. A mesma afirmou que de acordo com as normas do MEC não mais é permitido turmas Multiseriadas, e seguindo esta recomendação do MEC a Prefeitura Municipal está fazendo este remanejamento de alunos de algumas escolas para outras escolas mais próximas, para isto a Prefeitura dará todas as condições necessárias para estes alunos chegarem até a nova escola.

Do outro lado, os moradores e pais de alunos dessas comunidades, vêm o fechamento das escolas como um retrocesso à educação e às comunidades as quais estas escolas estão inseridas. Para os pais de alunos e moradores a educação é um pressuposto básico de uma comunidade, é um direito do cidadão e um dever do governo. Os governantes deveriam levar mais escolas para as comunidades ao invés de retirá-las, pelo menos mater as já existentes.

Os pais de alunos da Unidade Escolar José Ferreira na localidade Baixão do Sítio, zona rural do município estão revoltados e apreensivos com esta decisão e alertaram que vão lutar pela manutenção da escola naquela localidade.

Com o fechamento da escola José Ferreira no Baixão do Sítio, os alunos serão remanejados para a Unidade Escolar Madre Lúcia, localizada no bairro Aeroporto, zona urbana do Município, a uma distância de aproximadamente 10 km.

“As crianças que aqui estudam são do Infantil e Fundamental Menor, pois a Secretária de Educação no início do Ano Letivo já havia desativado o Fundamental Maior deste colégio. Para nós pais, fica muito difícil ver nossos filhos pequenos em um ônibus escolar para ir à escola a uma distância de 10 km de sua comunidade, expondo nossas crianças a riscos eminentes”. Desabafa uma mãe.

O morador da localidade Baixão do Sítio Cleiton Landim de Carvalho usou as redes sociais para fazer um apelo à Prefeita Carmelita Castro para que possa rever dessa decisão de fechar aquele colégio. Vejamos o que ele escreveu:

“Com tanto dinheiro disponível assim, a Prefeitura Municipal poderia manter aberta a Unidade Escolar José Ferreira na localidade Baixão do Sítio. Parte do Ensino Fundamental já não existe mais (Ginásio), agora a Secretária de Educação do Município avisou que as crianças pequenas que estudam naquela escola serão transferidas para a Unidade Escolar Madre Lúcia, no bairro Aeroporto, crianças de 4 anos terão  que se deslocar de uma distância de pelo menos 10km, para estudarem. Prefeita, tenha dó desse povo, tenha pena dessas mães que certamente ficarão preocupadas com seus filhos.  O poder emana do povo. Eu moro naquela comunidade e vejo que nenhuma daquelas mães querem isso. A senhora não tem o direito de expor essas crianças ao perigo de vir à cidade para terem um pouco de educação, o povo já sofre muito. Por fim, espero que a senhora veja essa mensagem e repense essa decisão. Não se fecha escola, abre-se escolas ou as mantém abertas”. Destacou Cleiton.

O Portal Veja SRN procurou o Vereador Isag Teles que é o representante político daquela comunidade, para falar sobre esta decisão da Prefeita Carmelita Castro em fechar o colégio José Ferreira. O vereador destacou a ação como um retrocesso à educação e àquela comunidade e disse que está tomando as providências cabíveis para evitar o fechamento daquela Unidade Escolar.

“Eu já procurei a Promotoria Pública, na pessoa da Dra Gabriela, mas a mesma estava viajando, mas assim que ela chegar vou protocolar esta ação contra o Município para a manutenção da escola funcionando no Baixão do Sítio. É preciso que a população saiba que esta escola tem seu Conselho Próprio, que recebe recursos direto do Governo Federal, inclusive tem recursos para entrar nesta escola ainda este mês e como a escola vai gerir estes recursos se estiver fechada? Eu sou contrário a esta decisão e vou lutar até as últimas consequências para mantê-la funcionando, vou buscar apoio na justiça, vou buscar apoio da população e tem mais, na próxima quinta-feira, na seção da Câmara Municipal irei protocolar requerimento para que a Secretária de Educação do Município compareça na próxima seção daquela casa para justificar o fechamento destas escolas”, destacou o Vereador Isag Teles.

Outras escolas que também deverão ser fechadas

O Portal Veja SRN teve informações que as unidades escolares das localidades: Macacos, Lagoa do Meio, Moisés e Altamira também terão seus alunos e professores remanejados para outras escolas, ou seja, também serão fechadas.

Os pais de alunos da Unidade Escolar da localidade Macacos da mesma forma que os pais da comunidade Baixão do Sítio estão revoltados com a decisão da Prefeita Carmelita Castro de remanejar os alunos daquela escola para localidade Gameleira. Alguns pais afirmaram que fica muito difícil para ver seus filhos terem que se deslocar até 13 km de distância para chegarem na nova escola.

A decisão de fechamento dessas escolas, vai na contramão dos posicionamentos da Prefeita Carmelita Castro que durante a campanha eleitoral, em vários momentos, fez  duras críticas ao ex-gestor Avelar Ferreira, por manter fechadas  algumas escolas durante a sua gestão, mesmo sabendo que estas escolas foram fechadas na gestão que o antecedeu.

No seu Plano de Governo, Carmelita Castro propunha reformar e ampliar as escolas no município, como também equipá-las com tecnologias como laboratórios de informática e outros, no entanto, está reduzindo estas escolas e tirando o orgulho dos moradores dessas comunidades de terem uma escola em que seus filhos possam estudar.

Infelizmente os gestores usam e abusam dos palanques durante suas campanhas eleitorais, difundindo falsas promessas que nunca serão cumpridas, nem mesmo mantidas. Uma das bandeiras da Prefeita Carmelita Castro em sua campanha era a manutenção e ampliação das escolas públicas, fechar escolas jamais.

Veja o que dizia o Plano de Governo da prefeita Carmelita Castro

Educação

Como sabemos, é a educação que liberta o indivíduo. Segundo o Senador Cristovam Buarque, pode-se dizer que o futuro de um município pode ser previsto pela “cara” da escola que o município tem no presente. Na esfera de competência do município, a educação de qualidade, universal e gratuita será uma meta a ser alcançada em 04 (quatro) anos. Para uma educação de qualidade, é indispensável o município investir na qualidade dos professores, na melhoria da infraestrutura das escolas, com investimentos em equipamentos de laboratório, no acompanhamento, avaliação e das atividades em bibliotecas atualizadas. Para efetivar esses objetivos, vamos:

Adequar, reformar e ampliar as escolas e creches municipais.

Fornecer merendas escolares de qualidade, valorizando a produção local.

Ampliar ofertas de vagas nas creches, no ensino infantil e fundamental.

Disponibilizar aos alunos da rede Pública Municipal fardamento completo.

Reformar, ampliar e equipar a Biblioteca Pública Municipal.

Incentivar, nas escolas urbanas e rurais, o estudo da Língua Inglesa e Língua Espanhola, ampliando-se o número de professores dessas duas disciplinas.

Em parceria com o Ministério da Educação, implantar, no âmbito das escolas, bibliotecas infantis e brinquedotecas.

Assegurar, nas escolas do Município, espaço e estrutura para a prática esportiva, especialmente futebol e recreação.

Informatizar as escolas e proporcionar acesso gratuito à internet, criando salas de informática em todas as escolas, incluindo as da zona rural.

Incluir, nos currículos escolares, valorizando os aspectos regionais, a Educação Ambiental e a Educação para o trânsito.

Criação de um sítio-escola. 

Fonte: VejaSRN.COM

Copyright 2017 - Portal O Mandacaru