Portal O Mandacaru

Governo já prepara relatório alternativo sobre imposto

Cícero Magalhães: pepara relatório alternativo ao de Rubem Martins sobre aumento impostos

Créditos: cidadeverde.com Deputado Cícero Magalhães ( PT) Deputado Cícero Magalhães ( PT)

A próxima quarta-feira guarda novas emoções na Assembleia Legislativa, quando a Comissão de Finanças deve votar a proposta do governador Wellington Dias (PT) que aumenta impostos (gasolina, telefonia e fumo). Se a votação realmente acontecer, deve haver disputa (e troca) de relatórios, já que os governistas preparam um texto alternativo ao do deputado Rubem Martins (PSB).

Rubem sabe da força do governo na Comissão – aliás, em todas as comissões. E sabe também que só é o relator da polêmica matéria porque o presidente do colegiado técnico estava viajando e coube ao vice, o oposicionista Luciano Nunes (PSDB), fazer a escolha. Indiferente a essa óbvia desvantagem, o deputado do PSB segue fazendo seu relatório.

Na próxima e decisiva reunião, os trabalhos da Comissão de Finanças já devem estar outra vez sob o comando de Severo Eulálio (PMDB), o presidente efetivo, que não vai criar problemas para o governo, muito pelo contrário. Severo tem poder de destituir o relator escolhido por Luciano, indicando um outro. É provável que não faça. O mais provável é que deixe o curso seguir, levando o relatório a votação e vendo a comissão derrotar o texto tranquilamente. Nesse caso seria votado um texto alternativo.

Um texto alternativo dos governistas já estaria praticamente pronto. Ele deve ser apresentado pelo deputado Cícero Magalhães (PT), repetindo os termos da mensagem original, conforme o interesse do governador Wellington Dias.

Números e recursos protelatórios

Quem viu o deputado Rubem Martins nos últimos dias, viu um homem debruçado sobre o texto do relatório que deseja apresentar. E viu ainda que o parlamentar de oposição está querendo fazer um texto de forte embasamento técnico. Rubem está recheando as páginas de informações sobre as contas do Estado. Haja números e leis.

Mas deputados de oposição mais afeitos às palavras que aos números levaram uma curiosa sugestão ao relator: que busque mais números. Que peça mais informações. Que sufoque o governo com os próprios dados que o governo costuma apresentar. E que mostre a falta de providências do Executivo no sentido de controlar os próprios gastos, relacionando-os com os rombos que agora geram o pedido de aumento de imposto.

Ao contrário do que parece, não há nenhuma repetina paixão pelos números. A sugestão é mesmo uma ação política, longe dos argumentos técnicos. E tem mais o objetivo de obstruir os trabalhos, evitando na prática que a matéria seja votada na quarta-feira. Ao pedir tantos dados, vai esperando, esperando e esperando. 

É velha história: a matéria, em caráter de urgência, tem prazo. E quem tem prazo não tem pressa.

Fonte: cidadeverde.com/fenelon rocha
Editor: Evandro Júnior

Copyright 2017 - Portal O Mandacaru