Portal O Mandacaru

PMDB fecha acordo e não fará convenção extraordinária

De acordo com João Henrique, a decisão pode até favorecer a tese de candidatura própria

Créditos: Reprodução Marcelo Castro Marcelo Castro

O Diretório Estadual do PMDB no Piauí decidiu, após extensa reunião nesta segunda (02), que não irá realizar convenção extraordinária em janeiro para deliberar sobre lançamento ou não de candidatura própria. 

O presidente do partido do Estado, deputado federal Marcelo Castro, disse que na reunião os deputados chegaram a um consenso e decidiram, depois de discutirem bastante a questão, que seria "inconveniente" e um "desgaste" a realização da convenção antecipada. 

"Chegamos a um consenso de que seria um desgaste desnecessário para o partido a realização de uma convenção em janeiro e outra em julho, então ficou decidido após uma conversa muito tranquila que o ex-ministro João Henrique segue com seu plano de defesa de candidatura própria e que em julho a gente delibera sobre o lançamento de candidato a governo ou não", esclareceu o deputado. 

Dentre os motivos alegados para a não realização da convenção, está o dispêndio financeiro, considerado pelos que defenderam a não realização da convenção, como um gasto desnecessário. 

Além disso, Marcelo Castro disse que foi alegada a questão da falta de legalidade de uma convenção em janeiro, uma vez que poderia ser decidido por candidatura própria em janeiro, mas em julho poderia se decidir o contrário. Para Marcelo Castro, isso pode gerar um desgaste para o PMDB sem necessidade. 

O ex-ministro João Henrique afirmou que acatou a decisão com muita tranquilidade e que tudo foi tratado com muito respeito à sua opinião. 

"Conversamos de forma muito respeitosa e ficou decidido que haverá convenção só em julho. Eu entendo que outra convenção traz uma despesa a mais para o partido, que é grande. Então vamos deixar para decidir só em julho mesmo", afirmou o ex-ministro. 

De acordo com João Henrique, a decisão pode até favorecer a tese de candidatura própria que ele defende. 

"É mais provável que a tese de candidatura própria passe em julho, porque eu vou ter mais tempo de continuar lutando por isso e reforçando a Caravana Piauí em Movimento e daqui para lá o PMDB pode estar em uma crise que dificulte o processo de aliança com o governo", defendeu.

Fonte: cidadeverde.com
Editor: Evandro Júnior

Copyright 2017 - Portal O Mandacaru