Portal O Mandacaru

Proprietário de terreno esclarece uso de Máquina do PAC

O proprietário do terreno em que foram clicadas a máquina do PAC esclareceu o udo da mesma

Créditos: Enviadas através do WhatsApp Máquina do PAC 2 Máquina do PAC 2

A reportagem divulgou uma matéria em que uma máquina do Programa de Acelaração do Crescimento (PAC 2) estaria trabalhando em uma propriedade particular, onde possivelmente será construído um Posto de Gasolina. A máquina fora fotografada e enviada a reportagem para que fosse realizada a denúncia sobre o suposto uso indevido do trabalho do maquinário.

A consulta aos responsáveis não obteve sucesso por conta da distância que a Prefeitura Municipal de São Raimundo Nonato criou com a reportagem, onde até as idas e visistas que o Diretor do Portal faz ao prédio da Prefeitura são contabilizadas e passadas ao gabinete da Prefeita, com o intuito de tumultuar quaisquer tipo de acesso. Diga-se de passagem a Prefeitura é do povo e não propriedade privada.

De acordo com os esclarecimentos descritos pela rede social do advogado Alexandro da Silva Macedo, em um comentário sobre a descrita matéria, deixou claro que o aterro fora doado a Prefeitura Municipal de São Raimundo Nonato com o intuito de realizar a recuperação de vias públicas beneficiando a coletividade do município. 

VEJA COMENTÁRIO

"A ética e base de todo o jornalismo que preza pela credibilidade dos fatos que narra. E de obrigação daquele que narra os fatos em meio jornalistico buscar informações de todas as partes envolvidas, e não aguardar que as partes venham a si com seus argumentos. Contudo, esclareça - se que o aterro em questão foi doado ao munucipio a fim de que possa recuperar vias públicas, fato raro até então por parte dos ultimos administradores. Todo o processo de retroescavação se deu às custas do proprietário do imovel, sem qualquer ônus ao município, o qual hoje se beneficia com a doação, reduzindo assim seus custos. Tal retroescavação custou ao proprietário do imovel a quantia de R$ 3.000,00, ignorado pela reportagem. Portanto o real beneficiado com o aterro em comento é a coletividade e não qualquer particular. Qualquer dúvida o proprietário do imóvel está à disposição para mais informações. Aliás cada carrada deste aterro foi vendida a outros particulares pelo valor de $ 30,00 cada, sendo que ao municipio foi doado. Sem mais", afirmou Alexandro da Silva Macedo.

Fonte: Da Redação

Copyright 2017 - Portal O Mandacaru