Portal O Mandacaru

Trabalhadores em educação realizam assembleia e decidem sobre greve nesta quarta-feira

A categoria quer reajuste salarial de 6,81% para todos os trabalhadores em educação

Créditos: Google Sinte-PI Sinte-PI

Os trabalhadores em educação estarão reunidos na manhã desta quarta-feira (31/01) no Clube do Sinte, em Assembleia Geral para discutir pontos da Campanha Salarial 2018, como os reajustes da categoria e poderá deliberar indicativo de greve.

E categoria levará em pauta , reajuste do piso salarial de 6,81% para todos os trabalhadores em educação; reajuste das gratificações; revisão do Plano de Cargos, Carreira e Salários; cumprimento do acordo da 2ª parcela do reajuste de 3,14% acertado para Janeiro/2018, entre outros assuntos.

De acordo com a categoria, o governo não cumpriu o acordo feito em 2017 para pagar em janeiro/2018 a segunda parcela de 3,14%. Os contracheques referentes ao mês de janeiro já estão disponíveis desde a semana passada e não consta o reajuste acordado.

“Essa falta de respeito do governo com os servidores nos tirou do sério, parece que o governador tá empurrando os funcionários para a greve”, destacou João Correia, secretário de comunicação do Sinte-PI.

As gratificações dos servidores da rede estadual de educação, professores e funcionários, está congelada há cerca de 10 anos. “Além disso, o Plano de Cargos, Carreira e Salários está bem defasado, e hoje a maioria dos trabalhadores da área administrativa operacional em início ou final de carreira está recebendo menos de um salário mínimo”, diz o secretário.

Segundo a presidente do Sinte-PI, professora Paulina Almeida, disse que até o momento o governador não se manifestou quanto ao ofício encaminhado em novembro/2017 apresentando a pauta de reivindicação da educação e solicitando audiência para tratar do mesmo.

“Já reiteramos o ofício solicitando audiência novamente em dezembro e em janeiro já tivemos oportunidade de estar com ele em movimento de rua e reforçamos a necessidade e a urgência de uma audiência para tratar da pauta de reajuste dos trabalhadores da educação”, enfatizou Paulina.

“Nós queremos o reajuste de 6,81% de forma integral, linear para todos os trabalhadores da educação e obedecendo a paridade, ou seja, que atenda os aposentados. Por isso dia 31 de janeiro, às 10h, no Clube do Sinte, teremos uma nova assembleia geral com a categoria para decidir os rumos da campanha salarial”, finalizou Paulina.

Fonte: portalaz.com.br
Editor: Evandro Jr.

Copyright 2018 - Portal O Mandacaru